sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

And so it is...

Foram quase 10 os meses de amor à distância. Foram quase 10 meses em que o amor não morreu e foi regado todos os dias. Segundo após segundo. Sem medos, sem travas. Foi só amor. Sempre.
E então, quando a presença se fez real, acabou. Foi o ponto final.
Eu não entendo. Eu não quero e eu não preciso entender.
Eu só sou dor. Só sou um misto de raiva de mim e de feridas abertas.
Essa é a minha vida. Essa é a minha verdade: ser quebrada o tempo todo para que outra possa ser inteira. Eu não preciso aceitar isso, mas é sempre o que me vem. Eu posso dizer não, mas é amor. E sendo amor, eu sempre vou dizer sim.