quinta-feira, 30 de julho de 2015

Terminei mais um livro.  Mais uma história que não vou compartilhar com você. Engraçado isso né?  Há alguns meses atrás eu nem sabia da sua existência e agora quero compartilhar todas as histórias do mundo com você. Engraçado esse jeito de te querer perto, compartilhando livros, histórias,  Saudades e vontades. Mas nem sei bem se realmente te quero perto. só quero compartilhar um pouco do que me faz bem. Bizarro esse meu modo de pensar em tudo que não formos: compartilhando coisas que nem sei se te interessam. A única coisa que sei que não te interessa hoje sou eu, é o presente que não vivemos. Me sinto bizarra.
-Mais uma!
O garçom já sabe qual minha cerveja preferida. Você nem isao quis saber. O garçom se interessa mais pelos meus gostos que você. E como posso querer mais de você do que do cara que sabe meu gosto? Talvez seja só fantasia minha que ele se interesse por algo meu. Talvez a gorjeta e só. Ninguém se interessa por mim. Preciso começar a entender isso.  Minha vida não é objeto de interesse de ninguém. Acho que nem pra estudo eu sirvo: olha lá mais uma derrotada enchendo a cara. Quem se importa?  Como seria interessante uma vida tão mais-uma-na-multidão pra ser objeto de estudo? Piada. É isso. Uma piada pronta cheia de gargalhadas dispostas a apontar pra mim,  isso que minha vida virou depois de você,  depois de eu querer compartilhar mais um dia vazio com você.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

Hoje eu fui no bar que denominamos nosso. Estava vazio. Ninguém quis ficar lá. Eu queria. Por algum motivo... lá foi onde viramos nós. Hoje sou apenas eu. Assim, eu sozinha. 
Talvez mesmo estando cheio de gente ainda estaria vazio. Pelas promessas vazias que você me fez naquelas mesas. Pelos sorrisos vazios que ficaram só naquele lugar. Pela música que tocava e hoje deixa de fazer sentido. Tudo vazio. Menos aqui dentro.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Quando você ouvir aquela música. Ou passar na frente daquele bar. Ou ler uma das muitas palavras que te disse quando a saudade apertava... você vai lembrar de mim e de todos os beijos e abraços que sinceramente te entreguei. Você vai lembrar de mim o tempo todo, eu sei. Nos planos desfeitos e na cama vazia. No sonho guardado e nas noites de frio. E essa lembrança da melhor pessoa que esteve ao seu lado, vai ser a minha maior vingança.