sexta-feira, 18 de março de 2011

Do sonho da adolescência e/ou Uma estrela cadente!

- Eu vi! Eu vi! Olha lá!
Todos olharam, mas já tinha passado. Só eu havia visto. Como um presente só meu. Como a realização de uma utopia, de uma viagem minha, aconteceu.
O céu azul escuro, cheio de pequenos pontos prateados, acabara de cuspir um deles só para mim. O céu me sorria e fazia-me gargalhar como num gozo adolescente; um êxtase tomava conta de todo o meu corpo: olhos sorrindo num silêncio úmido de lágrimas contidas, os poros saltando e suando frias gotas de emoção.
"Um pedido!" - pensei- "Tenho de fazer um pedido!" e foquei no mais belo dos pedidos. Desejei do fundo do peito um algo a mais tão diferente das coisas que desejava nas madrugadas dos anos 90, quando saía à janela esperando que a imensidão azul atendesse aos meus anseios.
E então, ali, onde todos olhavam com espanto meu sorriso infanto-juvenil, o que eu tanto esperei aconteceu. Só para mim.