sábado, 5 de junho de 2010

Sobre o arco-íris ou as desculpas




"A Parada perdeu o sentido." "Não tem mais graça Parada Gay, é só pegação."
Se eu ouvisse isso de bocas de pessoas de quarenta e poucos anos, olha... Eu até concordaria, porque já foi-se o tempo em que a Parada Gay tinha um real sentido, uma luta. Mas qual o problema em ter se 'transmutado' pra pegação, pra flertação, pra jogação?
Queremos igualdade, não é? E beijar um monte de gente, flertar com outras tantas, é exatamente o mesmo que os héteros fazem em carnavais de rua, micaretas, raves. O problema é ouvir, mesmo fazendo a mesma coisas que os héteros, que somos promíscuos. Infelizmente, isso não será mudado do dia pra noite.
Me atingem algumas palavras, alguns gestos, ser associada a coisas nas quais eu não acredito. Mas um dia, uma hora, isso muda. E essa igualdade que temos que querer. Seja beijar gente pra caramba na Parada Gay, seja em sentar à mesa de um restaurante e poder acariciar seu companheiro sem sem recriminado ou discriminado por palavras ou olhares.
Então... a Parada é amanhã. Hora de apoiar os amigos beijadores, hora de reverenciar as drag queens, as travestis, hora de encontrar as sapas recém saídas do armário.
Hora de nos divertimos com cores, amores, sabores.
E o arco-íris nos espera.

Ah! E não é apenas Parada Gay. É a Parada do Orgulho Gay.

Vamos nos orgulhar de sermos quem somos.

"Somewhere over the rainbow,
Skies are blue.
And the dreams that you dare to dream
Really do come true."

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Porque hoje... Hoje não quero dormir sem que seus braços me envolvam e me tomem do seu jeito mais fofo e doce. Não quero ir deitar sem antes ouvir da sua boca aquele 'boa noite' quase sussurrado que faz meu coração acelerar e me faz ter a certeza de que sim, será uma boa noite. Não quero levantar-me dessa cadeira sabendo que amanhã cedo, terei de me contentar com sua voz do outro lado da linha. Hoje não. Hoje quero presença, contato, suor, delírios, boca, língua, beijo, toque, eu-você.
Hoje não quero saber dos compromissos de amanhã. Do acordar cedo, do trabalhar, do chefe e de todo aquele blablabla. Deixemos tudo isso pra outro dia. Hoje, vem? Vem aqui e me faz sorrir e quase não conseguir dormir ao olhar seus olhos que lacrimejam enquanto me observam num semi-sono delicioso e cheio de cheiro seu. Vem aqui e me deixa com sorriso no rosto o resto do dia. Sorriso que escorre pelos cantos dos lábios e transborda pelos poros.
Hoje as palavras me doem no fundo, pedindo pra sair através de todos os buracos que possuo pra ver se você vem e atende a essa súplica do meu corpo pelo seu, da minha alma pela sua. Da minha vida.
Só hoje. Vem?

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Pimenteira...

Retorno ao blog tentando tirar os maus olhados.
As novidades? Não tantas como eu gostaria, mas a mais feliz... Estou noiva. É, n-o-i-v-a. Aliança de ouro, chororô da galera... Coisas assim. E por isso a pimenteira lá em cima. Pé-de-pato-mangalô-três-veiz. Quero zóio gordo no maior amor da vida, não.
Volto aqui, com um ar um tanto mais leve. Um tanto, não... muito mais leve. Os sorrisos, agora são uma contante em minha vida. Tudo por culpa dela. E é a culpada mais linda desse mundo. Ela tem toda a culpa por eu estar feliz hoje, toda a culpa pelo brilho no meu olhar, toda a culpa é dela.
É, ando amando mais do que nunca... Ando sorrindo, ando feliz, ando até de aliança de ouro agora!
E tudo por culpa dela... ou graças à ela. Não sei. Só sei que sem ela, agora, sou zero à esquerda.

quinta-feira, 4 de março de 2010

"Eu encontrei-a quando não quis mais procurar o meu amor..."

Na verdade, acho que foi ela quem me encontrou. Ou nos encontramos.
Sei é que fazem 6 meses que sorrio do jeito mais bonito.

E que amo.
Como nunca havia amado antes.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Parem...

... o mundo que eu quero muito descer.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

BBBeijo




Eis que acordo e leio que Angelica BBB10 está apaixonada por alguém da casa. Até aí, ok... Mas depois leio diversas manifestações de meninas pedindo para que ela se declare, que ela beije a menina e enfim.
Acharia lindo, confesso. Porém, será que o povão, o Brasil está preparado pra um beijo entre duas mulheres? (Ou entre dois homens também). Porque enquanto ela apenas fala de mulher, apenas diz que gosta de mulher, apenas se diz lésbica é uma coisa. Mas e quando as coisas tornarem-se reais? E se realmente acontecer um beijo?
Imagino muitas senhoras passadas, muitos moleques trancados no banheiro. E esse talvez seja um motivo para que os gays deixem a casa nessa edição. Enquanto eles apenas mostram-se gays, mas não tocam ninguém, acho que a sociedade aceita (porque é assim nas novelas também.), mas quando as coisas tornarem-se reais, a paixão ou atração, é demonstrada em um beijo ou outra forma qualquer de afeto, temo que um grande problema entre em cena: o preconceito da sociedade. Imagino manifestações contra os participantes - como, não sei se sabem, já vem correndo por e-mail - de grupos evangélicos, homofóbicos e afins.
Ou então, quebra-se o tabu.
Mas será que a massa está pronta pra ver tabus serem quebrados?
Eu duvido.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Daquele dia...

Então, eu li isso:
http://quasetudosobrequalquercoisa.wordpress.com/2010/01/18/homofobiamyass/

E aí, lembrei de uma história feliz que aconteceu comigo semanas atrás. Estava eu, a namorada e mais um monte de gatas pingadas que também são casais em um bar no bairro do Tatuapé. O bar é frequentado pelo público gay e a dona adora.
Então, estávamos todas muito a vontade. Trocando beijos, carinhos e tudo mais.
Eis que entra um sujeito e senta numa cadeira em frente a um casal de meninas que se beijava. O sujeito começou a alisar seu...hmmm... chamaremos de membro. Então, o sujeito alisando o membro, e fazendo caras e bocas pras meninas. E, claro, as meninas foram reclamar à dona do bar.
A dona foi simplesmente incrível. Ela colocou-se frente a frente com o rapaz e disse: "Moço, aqui é um bar frequentado por gays. Meninos e meninas. Se você quiser ficar aqui e respeitá-los, será muito bem vindo. Caso contrário, você pode se retirar já que não fará falta!"
O sujeito fez careta, olhou mais uma vez pras meninas, levantou-se e foi embora.
Achei digna a atitude da dona do bar. Sorri, as meninas sorriram, sentiram-se acolhidas, num ambiente em que podem ficar a vontade e demonstrar seu carinho.
O bar não é dos melhores, confesso. É um botequinho. Mas depois desse episódio, comecei a frequentá-lo.
Não foi heterofobia, pois tenho plena certeza de que se houvesse um casal hétero se beijando, a dona não tomaria essa atitude. Foi apenas pra impor respeito. Porque eu aceito muitas coisas, mas falta de respeito é algo que eu, definitivamente, não aceito e nem acho que alguém aceite.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010


E quando estou ao seu lado, sinto-me leve como uma borboelta.

E sinto, também, que tenho apenas as poucas vinte e quatro horas para ser feliz... Então as vivo intensamente. Pra sorrir, pra sentir, pra amar e pra te ser.
[FOTO BY: ELI D'AMORE]

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

#teamdimmy


Isso sim é diva!
(E, sim, eu assisto BBB)

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Dica:


(toda trabalhada no photoshop)

Meninas. Sapatinhas novatas do meu Brasil. Pra ser sapatão, não é obrigatório gostar de Ana Carolina. Portanto, não é necessário ouvir nas alturas que ela comeu a Madonna pra mostrar a todos a sua atitude sapacaxa do agreste. Porque, definitivamente, não é uma boa música.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Do que ficou preso

E enquanto sua boca calava a minha com o mais delicioso dos beijos, as palavras queriam - loucas- sair agradecendo-te pelo melhor final de ano, pelos melhores dias, pelos mais belos sorrisos, pelas pétalas espalhadas, pelas palavras bobas, ditas a qualquer hora e por qualquer motivo, pelos sonhos, desejos, planos, pelas verdades, pelos sussurros, pelos gemidos, por suas pernas que se entrelaçam nas minhas, pela família que já me adotou, pelos presentes, pela sua alma que uniu-se a minha e não a solta mais, pelo seu coração tão grande e generoso, pela sensibilidade que só você é capaz de ter, pelos Caios, Hildas, Marios, Zelias, pela aliança mais linda que já vi na vida, pela criatividade, por ser doce e alegre e sorridente, pelo futebol, pelos lanches da tarde, pelas imagens, pelos olhares, pelas fotografias, pela presença em tudo que é meu e já virou nosso.
Agora, com sua boca distante da minha, consigo lhe dizer essas palavras e lhe dizer que já tenho saudade.
Obrigada, pequeno - e tão grande - pedaço de amor que entrou em mim.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

2010

Começou lindo e colorido.
Com banho de mar de madrugada e beijos apaixonados.
Com champagne barata e lambida de cachorro.
Com orelha alargada, inflamada e desalargada.
Com os olhos dela fechando e abrindo ao meu lado.
Com beijos, muitos.
Com novas amizades e com as antigas renovadas.

2010 veio pra ser (e será) doce.